quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Enquanto os outros dormem

Era um dia normal na China, no ano de 124 a. C. A dinastia Mung-Chu estava a todo vapor. Bem, a todo vapor não, o motor a vapor teria sido inventado alguns milênios depois.

Os antigos chineses viviam felizes, fazendo aquela carinha de chinês quando fica feliz (algo como "-_-"). É nesse contexto histórico que se inicia a história de Mano Zé, um pequeno garoto nascido nas terras onde hoje fica a zona leste de São Paulo. Sua mãe (a mãe de Mano Zé, não a sua) era uma linda mulata do Sargentelli, e seu pai era um turista alemão, de férias nas terras vindouramente descobertas por Cabral e seus Blue Caps. Mano Zé, no entanto, nunca conheceu seu pai, o que lhe rendeu diversas indagações sobre seu passado e presente.

Em busca de respostas, Mano Zé pegou a lotação que ia pro bairro da Liberdade, e acabou indo parar em Hung-Tsé, um pequeno vilarejo localizado às margens do rio Yang-Qo.
Utilizando de perspicácia e a malandragem típica de seu futuro povo, Mano Zé dirigiu-se a um pescador. Fitou-o nos olhos, inclinou levemente a cabeça, ergueu a mão direita e falou:

"Bom dia, honorável pescador. Entendes minha língua?"

Ao que o pescador respondeu, erguendo a sobrancelha:

"Colé, mano? Tamitirano? Fica ligado, truta, cê vai pra vala!"

Mano Zé sorriu, e acolheu o calor humano vindo daquele ser tão especial. Depois percebeu que o calor humano era originado do corpo do pescador, que o abraçava vigorosamente. Mano Zé sentiu a leve brisa do outono, o calor dos raios de Sol daquela manhã mágica, e o odor de peixe que o velho pescador exalava.

Sentiu-se em um comercial de Vinólia, ao escutar a Primavera de Vivaldi sendo tocada ao fundo. Aproveitou aquele clima gostoso e pediu um martini Bond Style (mexido, não batido). Ficou decepcionado quando descobriu que não haviam inventado a coqueteleira ainda. Limitou-se ao suco de laranja.

14 comentários:

Didgio disse...

Isso foi antes ou depois da época em que se passa o filme "Mulan"?

Bem, tanto faz.

ALDIR GASPAR S FILHO disse...

Mano Zé me lembrou uma estorinha:

Zheng Compra Sapatos

Era uma vez, na Antiguidade chinesa, um homem do reino de Zheng que precisava dum novo par de sapatos. Antes de ir comprá-los à feira, mediu os pés com um pedaço de cordel.

Na feira, todos andavam numa enorme azáfama, e Zheng foi direito ao vendedor de sapatos:

- Bom dia, disse ele. Por favor, mostre-me um par de sapatos.

Pegando nos sapatos que o vendedor lhe estendia, Zheng meteu primeiro a mão num dos bolsos e depois no outro, com ar de quem estava muito perturbado.

- Maso o que tem o senhor? ? perguntou-lhe alguém amistosamente.

Sem dar qualquer resposta, Zheng continuava a vasculhar os bolsos. De repente, devolveu os sapatos ao vendedor e desatou a correr em direcção a casa, pois se tinha lembrado de que lá deixara o cordel com que tirara a medida dos pés.

Quando, finalmente, voltou com o cordel, já a feira tinha terminado.

Curioso de saber as razões do desânimo que lhe transparecia no rosto, alguém lhe perguntou o que acontecera?e Zheng contou-lhe então da sua má memória, que o levara a essa correria, sem que no entanto tivesse conseguido comprar os sapatos de que efectivamente precisava.

- Porque não experimentou os sapatos nos seus próprios pés? ? perguntou o outro.

- Não, isso não podia ser. Antes quero confiar na medida do cordel que acreditar nos meus pés!

Desta história, ficou o provérbio Zheng compra sapatos, com que os chineses satirizam os que acreditam mais nos dogmas do que na realidade objetiva.

Lelo disse...

Zhenguerer é quase um post...

MUTUMUTUM disse...

OBAAAA o/

Meu banner tá aqui tbm??? Pow! Q honra! Adoro blogs com histórias nonsenses, engraçadas, coisas que vem da cabeça... "devoradores de perucas"... mto bom. Qdo tiver um tempinho, leio todos os posts :)

Ahhh... como não sou pão-duro de links, se tem banner meu, tem link pro seu blog lá no meu cantinho :)

Beijão DU ^^

Adriana disse...

Pobre Mano Zé, mal sabe o que lhe espera do outro lado do muro...

Ahh, fiquei honrada por ver meu banner aqui, obrigadinha! ;)

Duuu, cadê vc que não te vi hoje ainda ???

Lelo disse...

Du viajou pro Gabão, falaram que a culinária de lá é 10!

Adriana disse...

Essa Du é danada mesmo...

NANDO DAMÁZIO disse...

De fato, muito comovente a vida severina de Mano Zé !!

Du disse...

Adri, eu tava do outro lado do muro... sabe como é, eu e o Mano Zé, esse calor todo, (abafaaa!!!)Ops...ah? Pois então,lá no Gabão as pessoas ficam só se gabando, não gostei não...Mas atrás do muro é bão!

Du disse...

Adriana, Adri ou Dri, como preferir...cadê você que não te vi hoje?

Preco, chuchuzinho com tomates secos?

Lelo, não quero papo contigo hoje, seu traíra! Sou muito mais o Mano Zé!

Mutumbatimutumzuringuidum, ô minha gente o Mutum é isso aí!

Didgio e seus neurônios hiperativos que não são loiros nem nada!

Nandooooooooo, me ensina a surfar com uma boia? Isso póóóóde???

Gasparzinho é o caraio!

Adriana disse...

Meninaaaa, que bafão, quer dizer que vc e o Mano Zé, hein... hummm, bem que desconfiei...

Pois é, Du, eu não saí daqui, já vc... nem quero saber...

Du disse...

Não quer saber mas vou te contar mesmo assim!
SENTA AÍ, MULHER!

ALDIR GASPAR S FILHO disse...

Atenção Galera:
SEQUESTRAM A DU!
ESSE SUMIÇO REPENTINO TINHA QUE TER UM MOTIVO ESPECIAL, AFINAL ELA NÃO FICA MEIA HORA SEM POSTAR.
OS SEQUESTRADORES JÁ DERAM SINAL DE VIDA E MANDARAM UMA PROVA DE MORTE: UMA MEIA NIKE DE ESTIMAÇÃO QUE ELA CULTIVAVA, QUER DIZER CURTIA MUITO. CURTIA TANTO QUE SÓ CHEGOU A PARTE SUPERIOR DA MEIA. A INFERIOR DEVE TER FICADO GRUDADA NO TENIS, UM CONGA AZUL MARINHO HERDADO DA TIA-AVÓ, QUE POR SUA VEZ O DESCOLOU NUM SHOW DO RENATO E SEUS BLUE CAPS
EM TROCA DA NOSSA PALADINA ELES EXIGIRAM DUAS MARIOLAS. MAS TEM QUE SER DAQUELA PRETINHA COM UM DEDO DE ESPESSURA. E AGORA GENTE????

Du disse...

Vixe, mano! Chegou tarde...a Paladina já se fartou com as mariolas!O meu All Star também foi recuperado arduamente, num contato imediato de 3ºgrau, com Renato Russo!