sexta-feira, 8 de maio de 2009

Brincadeira do Garrafão - Regra oficial

Essa era a regra oficial da Brincadeira do Garrafão, realizada no C. E. Hercílio Luz, no início da década de 90:

  1. Era desenhado um garrafão no chão, utilizando para isso o tênis do cara riquinho, para marcar o chão de terra do pátio do colégio. Geralmente, este serviço era feito por duas pessoas, cada uma desenhando um lado do garrafão (afinal, o cara riquinho tinha dois tênis);
  2. Era definido o céu, o lugar onde o pegador teria que ir para se ver livre do espancamento. Nosso céu era o poste que servia de suporte para a rede de vôlei, localizado propositadamente longe do garrafão, para que a tarefa de ir ao céu fosse a mais dolorosa possível;
  3. Após a riscagem do garrafão, era sorteado um pegador. O sorteio consistia basicamente em "escolher o cara riquinho". Se, por algum motivo, o cara riquinho faltasse, o garrafão era desfeito e jogava-se futebol de pinha;
  4. O pegador deveria (como o nome diz) pegar as outras pessoas participantes do jogo, tocando-as com as mãos ou com os pés (o chamado "peguei no chute").
  5. Se algum jogador tivesse ido ao banheiro / merenda e retornasse após o início do jogo, este era automaticamente declarado pegador.
  6. Agora a regra essencial: Todos os jogadores podem entrar e sair do garrafão por qualquer lado, mas o pegador somente poderia entrar ou sair através da boca do garrafão;
  7. Quando o pegador entrava/saía do garrafão sem ser pela boca, ou se qualquer participante pisasse na linha do garrafão e fosse denunciado, iniciava-se a penalidade. O participante deveria ir até o céu, debaixo de tapas e socos nas costas;
  8. Em dias especiais (geralmente quando havia reunião de professores), era adotada a regra especial, habilitando tapas e socos em outros lugares além das costas do participante;
  9. Em dias muito especiais (geralmente último dia de aula do ano), era adotada a regra deluxe, habilitando chutes, pontapés e a judiaria, que consistia em colocar o participante mais forte entre o pegador e o céu, para impedi-lo de livrar-se do castigo;
  10. Em alguns casos especiais (sangue ou cair no chão e começar a chorar), o participante deixava de sofrer as penalidades, e deveria ser excluído do jogo por 1 semana.


No próximo post, as regras internacionais para o Futebol de Pinha.

7 comentários:

Pepino Supremus disse...

Cade a analise tática das rodadas?
Muhahahahahahaha!

Rubens disse...

Esta sim foi uma infância feliz.

Amigao disse...

Eu lembro deste joguinho, era do Atari né?

Cláudio disse...

Jogo dos antigos (e bem legal). Mas nos dias de hoje, a questão da punição (socos e ponta pés) é descartavel, aliás, é um tanto quanto ridicula!!!

Um forte abraço a todos

Cláudio disse...

Jogo dos antigos, bem legal. Com excessão das punições, que atualmente são descartaveis (e ridiculas)

Um forte abraço a todos

Anônimo disse...

Quê isso Claudio, o mais legal eram as punições. Entretanto aqui onde moro tínhamos regras ligeiramente diferentes, como por exemplo o desenho do garrafão era dos dois lados, e em alguns casos na boca do garrafão a gente desenhava um pequeno labirinto, que dificultava pra kct o pegador sair dele. E a regra adicional é que ninguuém além do pegador poderia usar os dois pés dentro do garrafão, quem colocasse os dois pés dentro do garrafão era punido. E o pique (ou céu) era sempre no poste perto de uma planta chamada coroa de cristo (nem preciso falar porque desse nome).



Robert Maia -BH

blackmamba disse...

eu ja usava a brincadeira de garrafao so pra brincar com as meninas feias